Debate FOTOGRAFIA E REVOLUÇÃO | 9 de Maio, NOVA FCSH

Dia 9 de Maio, 10-13h| FCSH/NOVA, Auditório 3, Torre B, 5º Piso

Este evento pretende debater o papel da fotografia na fixação das percepções colectivas sobre os conflitos e revoluções no mundo. Com a participação de reputados repórteres fotográficos portugueses, com experiência de cobertura de conflitos e acontecimentos violentos, iremos discutir as dificuldades da fixação desse olhar que se reveste de tantos constrangimentos e responsabilidades. A partir de experiências profissionais concretas que produziram imagens para a actualidade ou para a história, iremos discutir as qualidades intrínsecas e construídas da imagem fotográfica, as expectativas sociais e profissionais geradas em torno dos fotojornalistas e as transições que estas imagens muitas vezes fazem do terreno do fotojornalismo para o campo artístico.

Quais são as circunstâncias políticas, sociais e estéticas que geram as imagens símbolo, imortalizando figuras e momentos, tantas vezes com prejuízo de leituras mais abertas e polissémicas da histórica? Existe uma intenção específica do olhar de quem fotografa simultaneamente imerso no tumulto mas procurando distanciar-se deste para ganhar espaço interpretativo e liberdade criativa? Como se podem ajudar a construir sentidos diversos num mundo saturado de imagens que circulam em apropriações desligadas dos seus contextos originais de produção? O que seria uma formação adequada para uma literacia das imagens fotográficas que ajude a estimular um olhar mais perspicaz, atento e sensível? Qual o lugar para a fotografia nas práticas jornalísticas contemporâneas? São estas as perguntas que irão alimentar a conversa com os estudantes de Ciências da Comunicação e restante público.

ORADORES CONVIDADOS

António Pedro Ferreira estagiou na Agencia Magnum em França e é fotojornalista do Expresso desde 1987. Premiado com o Prémio Gazeta de Jornalista em 1998 e do Clube Português de Imprensa em 2000, é autor de inúmeros livros e os seus trabalhos são expostos em várias galerias nacionais e internacionais.

Céu Guarda nasceu em Mora no Alentejo e vive em Lisboa desde então. Estudou Fotografia e Pintura na AR.CO e na Faculdade de Belas Artes de Lisboa onde também desenvolveu projectos em vídeo. Começou a trabalhar na imprensa escrita por acaso, primeiro como ilustradora , depois como fotógrafa e mais tarde como editora de fotografia.
Colaborou com várias publicações portuguesas e estrangeiras como como o DN Magazine, Grande Reportagem, Le Monde 2, ou Libération entre outros. Foi fotógrafa residente do Jornal O Independente e Editora de Fotografia do Jornal i do qual fez parte da equipa fundadora. Fez pesquisa fotográfica para a revista Visão História. Paralelamente desenvolveu projectos expositivos e editoriais com outros fotógrafos e artistas. Foi Co-fundadora da Kameraphoto e da KGaleria com a qual trabalhou durante mais de uma década. Expõe regularmente dentro e fora do país está representada em várias colecções. Actualmente é fotógrafa independente ensina Fotografia.

Luís Vasconcelos é um dos mais experientes fotógrafos portugueses. Diretor do Prémio Estação Imagem, está na origem de vários projectos jornalísticos na área da fotografia, como o Público e a Visão. Autor de vários livros, expõe e comissaria exposições com regularidade.

Moderação: Margarida Medeiros e Carla Baptista (Departamento de Ciências da Comunicação da FCSH/NOVA)

ORGANIZAÇÃO: ICNOVA/CIC Digital/NOVA

Comissão organizadora
Carla Baptista (ICNOVA)
Jacinto Godinho (ICNOVA)
Adriano Gomes (Universidade Federal Rio Grande do Norte)

ENTRADA LIVRE

2018-05-06T12:15:57+00:00Abril 18th, 2018|Categories: ICNOVAEventos|