Tem lugar no próximo dia 18 de maio (14h30), no edifício ID, piso 0, sala 0.06, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, um seminário internacional sobre Net-Ativismo.

Esta iniciativa, promovida pelo ICNOVA – Instituto de Comunicação da NOVA FCSH, em colaboração com o ATOPOS – Centro de Pesquisa, da Universidade de São Paulo (USP), conta com a presença do Prof. Massimo di Felice, da USP, e com a apresentação de vários projetos na área, de alunos de doutoramento e pós-doutoramento.

Decorrerá ainda uma mesa-redonda sobre o tema, na qual participarão vários investigadores e docentes do ICNOVA e da NOVA FCSH.

Programa:
14h30 – Abertura
14h45 – Massimo di Felice (Atopos/USP) “O net-ativismo e a qualidade conectiva das interações digitais em rede”
15h15 – Breves apresentações orais de projetos de doutorandos e pós-doutorandos que trabalham a questão do Net-Ativismo.
15h45 – Mesa-redonda com a participação dos seguintes investigadores do ICNOVA: (José Bragança de Miranda, Jorge Rosa, Marisa Torres da Silva, Teresa Cruz, Marina Magalhães e F. Rui Cádima)
16h30 – Assinatura de Protocolo entre o ICNOVA (GI CM&A/Observatório do Net
Ativismo) e o Centro de Pesquisa ATOPOS (Universidade de S. Paulo).

 

Resumo da comunicação de Massimo di Felice

“O net-ativismo e a qualidade conectiva das interações digitais em rede”

As últimas gerações de conectividade (Internet of Things, Internet Everything) e a difusão de sensores nos ambientes ecológicos e urbanos passaram a criar uma forma inédita de interação entre humanos, coisas, dispositivos, dados e biodiversidade. A qualidade desta transformação remete à necessidade de repensar a morfologia do social, ampliando a mesma aos não humanos, dados e diversas formas de inteligência. Neste contexto de redes e de interações conectivas é necessário se perguntar a respeito da natureza digital e informatizada da ação, do sujeito e da cidadania.

Massimo di Felice

Massimo di Felice é Sociólogo – Università degli Studi La Sapienza (1993), doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2001) e pós-doutorado em Sociologia pela Universidade Paris Descartes V, Sorbonne (2012). É professor da Universidade de São Paulo, ministrando aulas na graduação e pós-graduação da Escola de Comunicações e Artes (ECA/USP). É professor visitante nas Universidades, Università Roma III (Itália), Université Paul-Valéry Montpellier III (França), Universidade Lusófona (Portugal). Tem experiência na área de Sociologia, Antropologia e Comunicação, nos últimos anos, suas pesquisas vêm aprofundando o estudo das redes complexas em três dimensões. A primeira, o estudo das alterações da condição habitativa, a partir da difusão de interações em redes informativas com o meio ambiente, cujo resultado está contido nas obras “Paisagens pós- urbanas – o fim da experiência urbana e as formas comunicativas do habitar” (2009); “Pós humanismo” (2010) e ”Redes Digitais e Sustentabilidade – as relações entre o homem o meio ambiente na época das redes” (2012); a segunda dimensão, o estudo do significado das alterações da ação nas redes digitais, pesquisa internacional sobre o net-ativismo que recebeu o apoio da Fapesp (Auxílio à Pesquisa Regular), e gerou além de diversos artigos internacionais e a publicação dos livros “Do público para as redes” (2008) e “Net-ativismo: as ecologias das interações nas redes digitais, da ação social ao ato conectivo” (2017); a terceira dimensão, o estudo sobre o comum digital e a superação da ideia humano-técnica e industrial da comunicação. É autor de vários ensaios e artigos publicados em diversas revistas europeias, como La critica Sociologica (Univ. La Sapienza, Roma), Ágalma (Univ. Tor Vegata, Roma) e Sociétés (Ceaq, Univ. Sorbonne). No Brasil, coordena a coleção Atopos (Editora Annablume) e a coleção Era Digital (Editora Difusão).