Investigadores do ICNOVA na Conferência Televisão e Novos Meios III

Os docentes do Departamento de Ciências da Comunicação da NOVA FCSH e investigadores do ICNOVA, Dora Santos Silva e Jacinto Godinho, participam como convidados na Conferência TELEVISÃO E NOVOS MEIOS III – PRODUÇÃO E PÚBLICO: ASSINCRONIAS, que se realizará na Universidade da Beira Interior, de 23 a 24 de maio.

Dora Santos Silva irá refletir sobre:

Como inovar na TV e nos novos meios?

Resumo:

“Nos últimos anos, a comunicação social e os media digitais sofreram mudanças significativas, ao leme de um novo ecossistema mediático associado de forma irreversível à tecnologia. Por um lado, multiplicam-se os news avoiders, mas também o consumo de conteúdos através de novas plataformas que substituem as formas tradicionais de informação nos ecrãs da televisão, do papel ou da rádio. Por outro lado, sempre que os media entram num período de incerteza, há uma tentativa de inovar, de forma a superar a crise, alcançar a sustentabilidade ou encontrar novos públicos. Impõe-se assim perceber como é que os media estão a inovar em ambiente digital em relação aos seus produtos, processos, paradigma e posicionamento, partindo do princípio de que inovação, tal como o economista Joseph Schumpeter a descreveu, não é sinónimo de invenção ou de mera criatividade – é, na maior parte das vezes, novas combinações de algo já existente. Esta comunicação foca-se no processo da inovação nos media, em particular na Televisão, apresentando exemplos de novos formatos, novas formas de contar estórias e novos modelos de negócio, que já antecipam, no presente, o futuro deste meio, tentando dar um contributo para a pergunta que faz parte da agenda mediática e científica: qual pode ser o caminho para a televisão neste novo ecossistema mediático?”.

Jacinto Godinho irá exibir o seu último documentário: “A Gravação Secreta da Assembleia Selvagem” seguida de uma comunicação subordinada ao tema – O Documentário Jornalístico Histórico e o dilema da ficcionalização, onde abordará a questão da inevitabilidade, ou não, da presença de elementos ficcionais na narrativa documental.

2019-05-22T22:46:39+00:00Maio 22nd, 2019|Categories: ICNOVANotícias|