Cultura, Mediação e Artes (CM&A)2018-04-14T12:23:00+00:00

Cultura, Mediação e Artes (CM&A)

Coordenador: Jorge Martins Rosa

O foco central deste grupo é, no campo das ciências da comunicação, a análise dos fenómenos culturais segundo uma perspetiva crítica. Pressupõe-se que a comunicação desempenha um papel crucial ao conferir sentido à multidimensionalidade da cultura, algo patente nos regimes de mediação discursivo, imagético e aural, entre outros, sendo desta forma inseparável tanto das técnicas e dispositivos de retenção quanto das artes e outras práticas criativas que permitem que a cultura se reinvente.

Os seus campos principais de interesse, quer na pesquisa fundamental quer na aplicada, são as relações entre: 1) a cultura contemporânea e as tecnologias de mediação e retenção; 2) as materialidades textuais imagéticas e narrativas; 3) a arqueologia dos media, os arquivos e o património cultural; 4) as artes e as práticas criativas. Entre 2013 e 2017 estes foram investigados a partir das temáticas da identidade cultural e das representações culturais.

No período de 2018 a 2022, o grupo irá pôr em prática a agenda de investigação da unidade em torno dos desafios culturais e societais, focando-se nos seguintes aglomerados.

1) A cultura da participação online. Em 2017, foi submetido para financiamento um projeto, em avaliação por parte da FCT, sobre a participação política online, nos períodos eleitorais, de grupos apoiantes partidários não oficiais. A investigação em curso e futura contempla ainda as questões da literacia transmedia e do fandom, e ainda do software enquanto estrutura de saber e de poder.

2) Artes, arquivos e coleções patrimoniais na era digital. Está em curso um projeto financiado sobre estórias coletivas acerca do continente africano. Foram submetidos outros três projetos, ainda aguardando confirmação por parte da FCT: um sobre as práticas comunicacionais no campo artístico português, um outro sobre a receção cultural dos raios-X em Portugal, e um terceiro sobre o impulso fotográfico nos arquivos fílmicos coloniais. O grupo focar-se-á ainda em temas como a arqueologia comparativa entre os meios analógicos e digitais, e as ecologias das artes digitais.

Aida Estela de Castro Monteiro da Costa
Alice Angela Tomaz
Ana Catarina Caldeira
Ana Filipa Gandum Ribeiro
Ana Ondina da Cruz Leorne
Ana Luisa Ferreira de Azevedo
Carlos Eduardo Ribeiro Mendes Natálio
Cristina Benedita Garcia
Danielle Miranda da Silva
Eduardo António da Costa Margarido
Fillipo di Tomasi
Helder Miguel Cardoso Dias
João Pedro Pereira de Matos
Lorena Cristina Barros Travassos
Mirian Rosi Cardoso
Patrícia do Carmo Boto Leal
Ricardo Manuel Pereira Esperanço
Rui Miguel Reis Gaio
Ruth Iana Paul Sousa Ferreira
Sara Marlene Castelo Branco Bolsa
Taiana Catharino

Álvaro Miguel Faleiro Rodrigues
Ana Duarte Cabral Martins
Bernhard Rieder
Carrolin Overhoff Ferreira
Catarina Isabel Patrício Leitão
Eduardo Jorge Santos Esperança
Janna Joceli de Omena
Joana Isabel Bicacro
José Armando Pinto Casquilho
José Luís de Oliveira Andrade
Luís Filipe Monteiro Lima
Manuel Luís Bogalheiro R. Fernandes
Paula Cristina Parente Vieira Pinto
Paulo Quadros
Samuel André Alves Mateus