ICNOVA no Encontro de Ciência´18

Pelo segundo ano consecutivo o CIC.Digital pólo FCSH / ICNOVA marca presença no Encontro Ciência da FCT, com três comunicações.

O evento, promovido pela Fundação para a Ciência e Tecnologia em colaboração com a Agência Nacional de Cultura Científica e Tecnológica Ciência Viva e a Comissão Parlamentar de Educação e Ciência, tem o apoio institucional do Governo através do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e decorre no Centro de Congresso de Lisboa de 2 a 4 de julho.

 

2 JUL | 14:00  Sala B
Sessões no tema – 12 – Produção e Consumo Sustentáveis | Consciencialização e Gestão de Consumo

O potencial da Visualização de Informação como forma de comunicação e consciencialização
Ana Figueiras, Centro de Investigação em Comunicação, Informação e Cultura Digital (CIC.Digital)

O principal objetivo da visualização de informação é comunicar os dados não apenas de uma forma clara e eficaz, mas também de uma maneira que consiga cativar a atenção do utilizador. Por tal, a visualização tem um enorme potencial como ferramenta de consciencialização através da divulgação dos dados, não só a um nível micro como por exemplo para consciencializar em relação ao consumo de energia num edifício mas também a um nível macro para por exemplo para alertar em relação às alterações climáticas e ao seu impacto no planeta. Nesta comunicação pretendemos mostrar o potencial da utilização de visualizações para informar e envolver os cidadãos em questões relevantes. Pretendemos demonstrar como uma visualização por si só consegue comunicar estas questões complexas e que estratégias
podem ser utilizadas não só para criar (1) visualizações mais explicativas para consumo individual, como também (2) visualizações que possam ser exibidas em projeções públicas, tirando partido da quase omnipresença dos displays eletrónicos no nosso quotidiano.

 4 JUL | 14:00 – Auditório 4

Sessões no tema – 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis | Urbanização Inclusiva

Diversidade, Pluralismo e Comunicação Social
Rui Cádima, Carla Baptista, Marisa Torres da Silva, Luís Oliveira Martins, Centro de Investigação em Comunicação, Informação e Cultura Digital (CIC.Digital)

Nesta comunicação apresentaremos os dados preliminares de dois projectos de investigação que temos vindo a realizar e que se complementam: por um lado, apresentaremos os primeiros dados globais do estudo DIVinTV – Televisão pública e diversidade cultural em Portugal: um estudo sobre a programação dos canais generalistas públicos portugueses sobre a pluralidade de conteúdos e expressão cultural, diversidade e inclusão; por outro lado, iremos contextualizar estes dados com a análise que fizemos ao longo dos últimos anos sobre o acompanhamento do pluralismo em Portugal no âmbito do projeto europeu MPM – Media Pluralism Monitor (http://cmpf.eui.eu/media-pluralism-monitor/mpm-2016-results/portugal/). O principal objetivo destes estudos é dar um novo contributo para um realinhamento do conteúdo mediático face aos grandes desafios culturais e societais que a agenda europeia e a Agenda global 2030 incluem; isto é, em termos genéricos, a consolidação de uma sociedade do conhecimento inclusiva e diversificada, e uma comunidade global desenvolvida e sustentável. Pretendemos ainda, particularmente no âmbito da programação do serviço público de televisão em Portugal, repensar o papel e o propósito dos media públicos numa sociedade em mudança, promovendo a inclusão, a igualdade de género, a diversidade de vozes e pluralidade de expressões culturais.

  

4 JUL | 14:00 Sala F
Sessões no tema – 13 – Ação Climática | Ação Climática Global

Antropoceno: adaptação e resistência ao novo regime climático
Catarina Patrício, Centro de Investigação em Comunicação, Informação e Cultura Digital (CIC.Digital)

Na Terra tudo resultou por impulsos de adaptação e resistência ao constante movimento das coisas: de forma a persistir, uma qualquer entidade teve de se adaptar, mudando, ou então resistiu, conservando-se. Mas o movimento natural do mundo parece ter-se instabilizado. Depois de 12 000 anos de Holoceno, eis o Antropoceno, a nova era geológica que absorve o impacto do desenvolvimento mais recente da ação humana libertando mutações ecológicas de todo o género. Pensa-lo obriga a uma nova relação com a natureza, mas também com a ciência. Se para as ciências modernas a tarefa consistia em compreender o mundo através da facticidade do saber, ter-se-á agora de problematizar o agenciamento humano não apenas na construção das ideias mas também enquanto força geológica.

Foto: Ciência´2018

2018-06-29T11:34:51+00:00Junho 29th, 2018|Categories: ICNOVANotícias|