Margarida Medeiros e Luís Mendonça publicam na obra “Morte e Espectralidade nas Artes e na Literatura”

Margarida Medeiros e Luís Mendonça (investigadores do ICNOVA) acabam de publicar três artigos na obra “Morte e Espectralidade nas Artes e na Literatura”, editado por Fernando Guerreiro e José Bértolo (Editora: Humus).
Margarida Medeiros publica “Do falso auto-retrato ao falso still de fime: Acerca do papel da fotografia na série Untitled Film Stills de Cindy Sherman” e “Espectros revisitados. Da fotografia espírita ao digital”.

Luís Mendonça assina o capítulo “Todas as fotografias são momentos mori”: Encenações da morte nalguns filmes de terror”.
O autor discute que” A fotografia é forma ou formação espectral, tornando pela imagem, qual máscara mortuária baziniana, os vivos contemporâneos dos mortos. Como é que o cinema, em particular o de terror, suscita essa espectralidade, conferindo presença e corpo, na sua mise en scène, à ideia de Susan Sontag segundo a qual “todas as fotografias são memento mori”? Alejandro Amenábar, Kiyoshi Kurosawa, Manoel de Oliveira, Banjong Pisanthanakun, Parkpoom Wongpoom, Lars Klevberg e Michael Snow são alguns dos cineastas que nos auxiliarão na resposta”.

O livro reúne ainda contribuições de diversos artistas e investigadores: Amândio Reis, Ana Campos, Fernando Guerreiro, Filipe Figueiredo, Golgona Anghel, José Bértolo, José Duarte, Kelly Basílio, Patrícia Soares Martins e Susana Lourenço Marques.

+ info: https://www.almedina.net/product_info.php?products_id=51748

2019-05-16T09:31:36+00:00Maio 15th, 2019|Categories: ICNOVANotícias|