Profª Maria Cristina Franco Ferraz profere conferência inaugural do curso de Doutoramento em Ciências da Comunicação 2019-2020

Com uma conferência subordinada ao título “Black Mirror, estilhaços da contemporaneidade: avaliação, contágios on-line de ódio e ressentimento,  tecnologias e finitude”, a Profª Maria Cristina Franco Ferraz (UFRJ) abrirá o curso de Doutoramento de Ciências da Comunicação este ano na NOVA FCSH, a 20 de Setembro de 2019, pelas 14 horas na Sala 219 do Colégio Almada Negreiros (Campus de Campolide, Lisboa). Trata-se de uma organização do ICNOVA – Instituto de Comunicação da NOVA e do Departamento de Ciências da Comunicação da NOVA FCSH.

Na conferência serão desenvolvidas questões temáticas que concernem às sociedades contemporâneas, a partir dos seguintes episódios da série distópica Black Mirror, da Netflix: Nosedive (Queda livre), Hated in the nation (Odiados pela nação) e Be right back (Volto já).  No primeiro deles, serão relacionados o imperativo da “avaliação”, o culto da performance otimizada e a lógica empresarial que permeia o capitalismo tardio. Em Odiados pela nação, será articulada a força de contágio e de disseminação de manifestações de ódio em redes sociais da internet à negatividade secretada pelo ressentimento.  Por fim, em Be right back serão investigadas complexas relações com a finitude no horizonte cultural contemporâneo e no âmbito da visão “fáustica” das tecnologias.

Profª Maria Cristina Franco Ferraz (nota biográfica)

Mestre em Letras pela PUC-RJ e doutora em Filosofia pela Universidade de Paris I-Sorbonne, é Professora Titular de Teoria da Comunicação da UFRJ. Pesquisadora do CNPq, realizou três estágios pós-doutorais em Berlim e coordena na UFRJ o mestrado Erasmus + Crossways in Cultural Narratives. Foi professora visitante nas universidades de Paris 8 e Perpignan (França), Richmond (EUA), Nova de Lisboa (Portugal) e Saint Andrews (Escócia). É autora dos livros: Nietzsche, o bufão dos deuses (Rio de Janeiro: RelumeDumará, 1994/São Paulo: n-1, 2017 e Paris: Harmattan, 1998), Platão: as artimanhas do fingimento (Rio de Janeiro: RelumeDumará, 1999 e Lisboa: Nova Vega, 2010), Nove variações sobre temas nietzschianos (Rio de Janeiro: RelumeDumará, 2002), Homo deletabilis – corpo, percepção, esquecimento: do século XIX ao XXI (Rio de Janeiro: Garamond, 2010 e Paris: Hermann, 2015) e Ruminações: cultura letrada e dispersão hiperconectada (Rio de Janeiro: Garamond, 2015).

2019-09-17T09:32:26+00:00