NOVA recebe Jornadas Internacionais “HIGH TECH, HIGH IMPACT?”

Decorrem nos dias 4 e 5 de fevereiro, na sala T7 da NOVA FCSH as Jornadas Internacionais de Publicidade / International Advertising Meeting, sob o tema HIGH TECH, HIGH IMPACT? No primeiro dia o evento conta com onze comunicações divididas em dois blocos, uma “talk” e a primeira reunião do GT da SOPCOM, coordenada por Ivone Ferreira (ICNOVA e NOVA FCSH) e Sara Balonas (CECS/UMinho). “Comunicação Publicitária Contemporânea: um campo de disputa entre as novas táticas de dominação (Publicidade Sensorial) e as estratégias de resistência (Publicidade Social)” é o tema da conferência da Profª. Patrícia Saldanha, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro que acontecerá pelas 10h00, no segundo dia.

O evento é uma iniciativa do ICNOVA e do Departamento de Ciências da Comunicação da NOVA com a Universidade do Minho, Universidade Fernando Pessoa, Escola Superior de Propaganda e Marketing-Porto Alegre, Brasil e o  GT de Publicidade da SOPCOM. Será feita transmissão em streaming. (brevemente será disponibilizado o link )


Enquadramento

As novas potencialidades tecnológicas, os novos media e as redes sociais, a realidade virtual aumentada, os novos dispositivos multimédia, etc., causaram furor no mercado e no mundo da publicidade pelas irresistíveis oportunidades que proporcionaram às marcas no sentido de desenvolverem mecanismos mais eficazes, mais ubíquos, mais económicos e mais rápidos para comunicarem com os consumidores. Investigar estas novas realidades é fundamental tendo em vista compreender novos perfis, novos contextos e condições de produção/criação e transformações ao nível dos usos e práticas de consumo, e ainda redefinir estratégias. Deste tipo de pesquisa beneficiam, sobretudo, as empresas/organizações e as marcas.

Contudo, o mundo está do avesso, em diferentes geografias e contextos sociopolíticos. A publicidade, enquanto médium de expressão e agenciamento da nossa cultura, não poderá deixar de se comprometer com essas mesmas realidades em mudança. As sucessivas e imprevisíveis crises económicas e financeiras, e os baixos orçamentos que daí decorrem, as culturas emergentes, ou persistentes, apostadas numa maior participação e ação crítica, não são condizentes com os paradigmas de sempre. Repensar os pressupostos segundo os quais a velocidade de circulação de mensagens, a quantidade das mesmas, a produção e consumo ilimitados, a competitividade e a pressão para fazer mais e cada vez mais depressa, é urgente. Baixar os níveis dos padrões quantitativos que se impõem, atrasar os frenesins que se emanciparam do nosso domínio, representa, pelo menos, um desafio que valerá a pena encarar. É fundamental avançar, Não para a frente, mas os lados. Olhar em volta, para o planeta, para as pessoas, para as causas e a beleza do que nos rodeia.

Resumo da Conferência da Profª. Patrícia Saldanha:

É premente compreender a comunicação publicitária contemporânea da/na Sociedade midiatizada. De um lado, fortalece-se a Publicidade Social contra-hegemônica, cuja tipificação resulta da investigação desenvolvida pelo LACCOPS nos últimos anos: Comunitária; Afirmativa; de Causa; de Interesse Público e Transversal. Simultaneamente, despontam pelo planeta casos de Publicidade Sensorial hegemônica (pesquisa inicial) que, através das inovações tecnológicas, atuam no cotidiano e afetam sutilmente os sentidos: olfato, visão, paladar, audição e tato. Vale refletir sobre tais perspectivas emergentes do cenário hiperconectado.”

2020-04-06T21:59:09+00:00