Investigadores do ICNOVA publicam na Revista Comunicação Pública (vol. 15, Nº 28, 2020)

O último número da Revista Comunicação Pública (vol. 15, 2020), contém dois artigos assinados por investigadores do ICNOVA, no Dossier Temático “Notícias e Públicos na era dos Novos Media: perceções e dinâmicas de consumo em rede”.

Elizângela Costa de Carvalho Noronha (doutoranda) e Maria João Silveirinha (ICNOVA, UC) assinam o artigo “Um quarto todo seu” na era digital: pós-feminismo e notícias para públicos femininos na plataforma Delas  (https://doi.org/10.4000/cp.6162), que tem como objetivo central investigar, a partir do estudo exploratório da plataforma Delas, como o jornalismo digital dirigido às mulheres constrói discursivamente uma sensibilidade pós-feminista a partir de uma apropriação neoliberal dos feminismos e suas causas. Para o efeito, concentramo-nos nesta plataforma portuguesa e nas notícias publicadas no Dia Internacional da Mulher, 8 de março, a fim de perceber como se produzem universos pós-feministas, nomeadamente a partir de determinados valores jornalísticos, do papel discursivo das mulheres e do tipo de agência política proposto às leitoras.

O doutorando do ICNOVA, Albino Fernando Quaresma Tavares, e Ana Margarida Barreto, docente da NOVA FCSH e coordenadora do Grupo Estratégias de Comunicação do ICNOVA, assinam o artigo O impacto da Comunicação Externa da GNR na perceção de Liberdade e de Segurança (https://doi.org/10.4000/cp.7293). O trabalho foca-se na identificação e na análise do impacto da comunicação externa da GNR na perceção de liberdade e de segurança da população portuguesa. Para o efeito, e tendo em conta o número de sujeitos na investigação (581 respostas ao inquérito, tendo sido validadas 552), a sua dispersão territorial (Lisboa, Leiria, Coimbra e Arganil) e a diversidade da amostra (género, idade e habilitações literárias), recorreu-se à pesquisa quantitativa, nomeadamente a um inquérito, aplicado a uma amostra de conveniência.
Constatou-se que a comunicação externa da GNR contribui para a prossecução da sua missão geral, isto é, a perceção de liberdade e de segurança varia com o acesso à comunicação da GNR, sendo superior para quem acede à comunicação da GNR e aumentando em relação direta com a frequência da receção daquela comunicação. No final do trabalho são apresentadas algumas sugestões de melhoria, tendo em vista uma comunicação mais eficiente e eficaz.

A revista encontra-se disponível em open access, em https://journals.openedition.org/cp/.

2020-06-29T11:48:15+00:00