Trabalhos selecionados para o 3º Festival e Mostra de Audiovisual do NUPEPA/ImaRgens – ICNOVA/LAPS de 12 a 17 de Novembro 2020

Conheça aqui os filmes e sequências fotográficas selecionados para o 3º Festival e Mostra de Audiovisual do NUPEPA/ImaRgens – ICNOVA/LAPS (os materiais são listados abaixo de acordo com a indicação de categoria pelos seus autores e em ordem de inscrição).

Esta edição do festival conta com 20 materiais selecionados (8 filmes na categoria “recortes documentais”, 8 filmes na cateogria “narrativas ficcionais e ensaísticas” e 4 sequências fotográficas.

Este ano a exibição dos materiais ocorre virtualmente nos dias 12 e 13 de novembro mas o público inscrito previamente poderá acessar também o link dos filmes para assisti-los a partir do dia 9 de novembro e para votar nos materiais que mais gostaram.

O público pode se inscrever previamente para votar no material de preferência por meio deste link: https://tinyurl.com/festivalnupepa3

 

Filmes documentários do 3º Festival e Mostra de Audiovisual do NUPEPA/ImaRgens – ICNOVA/LAPS

A data de exibição dos materiais está prevista para dia 12/Novembro a partir das 17h45(Br)/21h45(Pt):

 

Mostra/exibição: “recortes documentais”:

 

Mulheres: a pandemia que só elas vivem

Jornada tripla: trabalho, casa e filhos. Resultado de uma estrutura social. Se no dia a dia comum as mulheres são sobrecarregadas de responsabilidades e tarefas, no decurso de uma crise sanitária as coisas podem se tornar mais complicadas. Este filme apresenta o perfil de três mulheres em suas batalhas diárias para manterem seus filhos e a si mesmas, em plena pandemia de Covid-19.

Mulheres, pandemia, gênero

 

LOSS

Trazemos a biografia de dois artistas urbanos em Porto Alegre, RS, Brasil. Ambos compartilham suas trajetórias e narram suas inspirações imaginárias para a equipe do Navisual (PPGAS/IFCH/UFRGS). As experiências etnográficas foram desenvolvidas na Oficina de produção de vídeos (2018) tendo por tema a construção de etnobiografias e por referências as obras dos antropólogos cineastas Jorge Préloran, Jean Rouch e Jean Arlaud.

Arte urbana, etnobiografia, antropologia visual

 

A morte

Em um distante país tropical morreu um líder. Esse falso documentário distópico conta como uma sociedade inteira teve que se enquadrar em um projeto de poder fascista que se opunha à ciência, à educação, às artes e à liberdade de expressão. E como esse povo irá lidar com a liberdade recém conquistada.

Falso documentário, filme de arquivo, político

 

O Museu da Dona Violante

Mini doc que surgiu durante as filmagens de PANO DA TERRA. Na aldeia de Barradas, na cúspide entre o Alentejo e o Algarve, passámos a tarde a conhecer o pequeno museu de artesanato tradicional da Dona Violante Candeias e do seu marido Fernando Candeias.

Documentário, memória, desertificação

 

Feliz aniversário de papel

Luccas está fazendo aniversário e estando no meio de uma pandemia, não poderá fazer uma festa. Com isso, ele decide usar sua imaginação para criar a festa que ele gostaria de ter.

Isolamento, desenho, imaginação

 

aCasa

Um mergulho na alma como se esta fosse formada por cômodos de uma casa. Este é o argumento do curta-metragem “Acasa”. O trabalho retrata residências de Brasil e Portugal, e nasceu do interesse dos integrantes do grupo em realizar um filme poético, no qual a arte está no âmago do projeto. A ideia inicial de retratar a vida de artistas durante a pandemia e o processo democrático e sem definição exata de atribuição de funções fizeram do filme uma obra aberta, no qual música, poesia e imagem proporcionam uma fruição estética poética.

Alma, casa, poesia

 

Pontas Soltas

Bahia, Bolívia, Coreia, São Paulo: histórias de vidas que se encontram e se contam em um salão de cabeleireiro numa manhã no Bom Retiro.

Imigração, trabalho, cidade

 

Um ouvido no fone outro na cidade

Fazer entregas por aplicativos faz parte da realidade de muitos/as brasileiros/as, inclusive para brasileiros/as que vivem em países estrangeiros. O filme, por sua vez, aborda a vida dos/as riders brasileiros que moram em Dublin. Em conversas informais com esses/as entregadores/as, eles/as relatam ao entrevistador como músicas, podcasts e os sons da cidade tanto amenizam, quanto viabilizam seu dia a dia de trabalho.

Entregadores, audição, cidade

Sequências fotográficas do 3º Festival e Mostra de Audiovisual do NUPEPA/ImaRgens – ICNOVA/LAPS

A data de exibição dos materiais está prevista para dia 13/Novembro a partir das 17h45(Br)/21h45(Pt):

Mostra/exibição: “sequências fotográficas”:

Imersão

Fotografias como resultado parcial de pesquisa autoral sobre dinâmicas sociais que se desenvolvem em meio à natureza exuberante e cheia de água do norte do Brasil.

Documental, imersão, descobrir

 

Fogo e Água

Uma prece em forma de improvisação ao saxofone alto em decorrência da grave crise climática provocada pelo aquecimento global e agravada pela crise política no Brasil e no mundo.

Sustentabilidade, jazz, aquecimento global

 

Turma Perfeição

Cotidiano da turma de bate-bola Perfeição, no Rio de Janeiro.

Carnaval, turma, amizade

 

Vozes periféricas

Chamados a expressar as dificuldades que encontram no dia a dia, aquilo que se sentem convocados a combater, esses jovens reuniram símbolos e traduziram significados para a composição de uma cena-retrato. São moças e rapazes com tocante voz imagética, são suburbanos que desde esse ponto de vista reverberam incômodas questões sociais como o machismo, o racismo, o culto aos padrões de beleza e questões internas como ansiedade e dificuldade de expressão que pairam sobre todos. Vozes Periféricas traz uma série de retratos individuais, repletos de sentido que dão lugar de fala ao que sentem 11 jovens que enfrentam diariamente as mazelas do ser periférico.

Periferia, retrato, juventude

Ensaios e Ficções do 3º Festival e Mostra de Audiovisual do NUPEPA/ImaRgens – ICNOVA/LAPS

A data de exibição dos materiais está prevista para dia 13/Novembro a partir das 17h45(Br)/21h45(Pt):

 

Mostra/exibição: “narrativas ficcionais e ensaísticas”:

Mente aberta

Após um término de relacionamento, homem confabula sozinho, no banho, sobre razões em que foi abandonado.

Violência doméstica, homofobia, masculinidade tóxica

 

Cidades ocas

Viagem sensorial – através da dança – por São Paulo e Lisboa, num mesmo fim de semana de julho.

Dança, edifícios, corpos

 

Maculelê

O filme conta uma das versões da história do Maculelê, um guerreiro que lutou sozinho com apenas dois bastões contra uma tribo inimiga.

Maculelê, cultura popular brasileira, animação com bonecos de gravetos

 

Objetificados

Objetificados é um filme sobre o mais comum dos aspectos do quotidiano, o próprio quotidiano e a rotina que o domina. Ao estar em casa, uma pessoa não repara o quanto essa rotina que vive é repetitiva e até mesmo aborrecida. A visão do humano não tem importância aqui, mas sim os pontos de vista dos objetos habitualmente inanimados, como uma máquina de lavar, um microondas, um armário. São estes os personagens principais, com sua perspectiva sobre o ser humano.

Rotina; desumanização; objetos

 

Feed de memória

Eles estão isolados em quarentena. O fluxo dos pensamentos e a memória em tempos e formatos atuais.

Redes sociais, isolamento, cotidiano

 

Casco sem jabuti

Após a partida de uma moradora, a casa desenvolve dependência emocional por ela, revivendo algumas de suas memórias.

Dependência emocional, mudança, abandono.

 

Recado

Construção fílmica poética,  onde a tarefa de impressão torna-se metafórica, fonte de conhecimento profundo do meio estudado, por intermédio da paisagem ali reconhecida. Com o uso de imagens etnográficas resultante de longa pesquisa multidisciplinar conduzida com respeito à habitação campesina de distritos rurais da região dos Campos de Cima da Serra, no estado do Rio Grande do Sul, Brasil, esse curta metragem é uma construção que aposta no sentir a partir da concretude das imagens como  caminho de conhecimento. Os protagonistas são artefatos, tanto feitos pelos habitantes do lugar, como pelos artistas que aceitam o desafio de uma residência artística no atelier Jabutipê, a partir do compartilhamento do caminho científico já trilhado.

Queijo, arte, ciência

 

Nossas Senhoras

Uma improvisação que explora a beleza da natureza e a fé no sincretismo religioso de santas como Nossa Senhora Aparecida, Santa Catarina e Yemanjá.

Sustentabilidade, fé, jazz

Saudamos e agradecemos (a/o)s participantes desta edição do festival e mostra de audiovisual do NUPEPA/ImaRgens – ICNOVA/LAPS e convidamos a tod(a/o)s para inscreverem-se como público votante para o festival por meio deste link: https://tinyurl.com/festivalnupepa3

Professores responsáveis:
Carla Baptista (ICNOVA/NOVA)
Álvaro Comin (LAPS/USP)
Bianca Freire-Medeiros (VI SD/USP)
 
Coordenadores:
Allan Ferreira (ImaRgens/LAPS e ICNOVA/NOVA)
Ana Carolina Trevisan  (ImaRgens/LAPS e ICNOVA/NOVA)
Marcus Repa (ImaRgens/LAPS/USP)
Anna Hartmann (VI SD/USP)
 
Membros do Júri Especial:
Prof. Dr. Álvaro Comin
Profa. Me. Carolina Caffé
Profa. Dra. Fraya Frehse
Profa. Dra. Luciana Hartmann
Prof. Dr. Luís Mendonça  
 

Mais informações nos sites:

imargens.com.br

icnova.fcsh.unl.pt

sociologia.fflch.usp.br/laps

2020-10-21T18:56:26+00:00