Seminário P&C Para uma Timeline a Haver — genealogias da dança enquanto prática artística em Portugal , com Ana Bigotte Vieira e Carlos Oliveira | 18 de janeiro 

No próximo dia 18 de janeiro, às 18h de Portugal (15h no Brasil) terá lugar o primeiro Seminário Permanente Online de Performance e Cognição de 2021 do ICNOVA. Esta edição contará com a participação de Ana Bigotte Vieira (curadora de discurso no Teatro do Bairro Alto) e Carlos Manuel Oliveira (coreógrafo). A apresentação estará a cargo de Sílvia Pinto Coelho (NOVA FCSH / ICNOVA).

Link do Zoom: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/84440838419
Participação livre

Para uma timeline a haver é um exercício colectivo de sinalização de marcos relativos ao desenvolvimento e disseminação da dança como prática artística em Portugal nos séc. XX e XXI. Levado a cabo intermitentemente desde 2016 e assumindo o presente como lugar de enunciação, a cada edição sofre mutações que levam a uma reconfiguração física e metodológica do que é dado a ver. Combina fontes bibliográficas com escuta de testemunhos, recolha de documentos originais com pesquisa iconográfica, desenho de narrativas e relações, procurando criar um lugar múltiplo para a compreensão do que é ou pode ser a dança, e propondo uma familiaridade com obras, autores, “cânones”, corporalidades, épocas e mundividências, interrogando-os estética e politicamente. Com direcção e coordenação de Ana Bigotte Vieira, Carlos Manuel Oliveira e João dos Santos Martins, conta com sete edições até à presente data, e outras futuras em preparação, nas quais se inclui a publicação de uma base de dados online.

biografias

Ana Bigotte Vieira é curadora de discurso no Teatro do Bairro Alto e investigadora no Instituto de História Contemporânea e no Centro de Estudos de Teatro. É co-fundadora e curadora da plataforma baldio | Estudos de Performance, e dramaturgista em teatro e em dança.

Carlos Manuel Oliveira é coreógrafo, performer, investigador. Dedica-se à crítica da relação entre a coreografia e a dança, bem como aos modos de existência do conhecimento que lhes estão associados, através de projectos vários de investigação, curadoria e criação artísticas, individualmente e em colectivo.

João dos Santos Martins é um artista que trabalha a partir e através da dança. A sua prática distribui-se, geralmente, em múltiplas colaborações, experimentando entre formatos vários como a coreografia, a curadoria e a investigação.

créditos do projecto Para uma Timeline a Haver

Curadoria, investigação e edição: Ana Bigotte Vieira, Carlos Manuel Oliveira (2019-), João dos Santos Martins

Assistentes de investigação: Ana Dinger (2020), Sílvia Pinto Coelho (2017)

Contribuidores (2016-19): Alexandra Balona, Ana Cristina Vicente, Ana Dinger, Ana Mira, André e. Teodósio, António Cascais, Cristiana Rocha, Cristina Grande, Cristina Santos, Daniel Tércio, Duarte Bénard da Costa, Elisabete Paiva, Ezequiel Santos, Gil Mendo, Joclécio Azevedo, Luísa Roubaud, Magda Henriques, Margarida Bettencourt, Maria José Fazenda, Mariana Brandão, Mariana Pinto dos Santos, Mónica Guerreiro, Paula Caspão, Paula Garcia, Pedro Cerejo, Rita Luís, Rita Natálio, Raquel Afonso, Rahul Kumar, Rogério Nuno Costa, Sílvia Pinto Coelho, Tiago Bartolomeu Costa.

Design: Ana Schefer e Teo Furtado (2017-19); Marco Balesteros (2020-)

Design e programação site: Sara Orsi
Estagiários: Ana Filipa Fernandes, Joana Carrasco

Produção: Associação Parasita

Co-produção: (2020) Fundação Serralves (2019) Alkantara Festival, Centre National de la Danse — Aide à la recherche et au patrimoine en danse (Pantin, FR), Materiais Diversos; (2017) República Portuguesa: Cultura/ DGArtes Direção-Geral das Artes, Fundação Calouste Gulbenkian

Apoios: ICNova, Centro de Estudos de Teatro, Instituto de História Contemporânea, Livraria Tigre de Papel (2017), Teatro Sá da Bandeira (Santarém, 2017), Teatro Viriato (2017), O Rumo do Fumo (2019), ESD (2019)

2021-04-10T17:00:40+00:00