International Seminar “Rethinking Brazilian Journalism in Times of Population and Disinformation”

The International Seminar “Rethinking Brazilian journalism in times of populism and disinformation” will take place on January 13th, at 14 pm, at the Almada Negreiros Sala do Colégio, Campolide Campus.
The seminar aims to discuss the current perspectives on Brazilian journalism in these post-truth times.
Organization: ICNOVA / OBCOM

PROGRAM

Abertura (14h-14h15m): Coordenador do ICNOVA, Professor Doutor Francisco Rui Cádima; Coordenadora do Grupo de Investigação Media & Jornalismo, Professora Doutora Carla Baptista; Coordenadora do Projeto OBCOM/ICNOVA “Cobertura das Eleições Brasileiras de 2018 em Portugal”

I. Mesa Redonda (14h15m-16h) Reflexões sobre a Democracia e o Jornalismo no Brasil do Populismo

O populismo como uma construção político-tecnológica
Prof. Dra. Rita Figueiras
Professora Associada, Universidade Católica Portuguesa

Resumo: Para compreender fenómenos como o populismo é preciso considerar fatores de ordem económica, social, cultural e política. Apesar de ser menos explorado, o papel dos media noticiosos e das plataformas tecnológicas deve ser, igualmente, analisado. Nesta apresentação perspetivamos o populismo como uma construção político-tecnológica e argumentamos que as características, constrangimentos e contingências do atual ecossistema mediático tornam-no um elemento-chave do fenómeno: defendemos que o populismo pode ser perspetivado como um instrumento dos media noticiosos e das plataformas tecnológicas.

Dimensões antidemocráticas do jornalismo e a emergência do populismo contemporâneo no Brasil (Prof. Dra. Liziane Soares Guazina. Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília. Visiting Scholar Università Degli Studi di Milano)

Resumo: Nosso objetivo é discutir o papel do jornalismo brasileiro para a compreensão das formas com que o atual fenómeno do populismo de direita se apresenta no país. Para tanto, analisamos como o personalismo, a agenda e os discursos anti-establishment e anti-direitos humanos de figuras públicas são tratados e incorporados no jornalismo mainstream, legitimando, assim, as estratégias de comunicação política utilizadas nas mídias sociais. Ao final, propomos pensar em dimensões antidemocráticas do jornalismo brasileiro contemporâneo como chave para se compreender o contexto político.

Como Bolsonaro venceu a eleição: Populismo digital nas Presidenciais Brasileiras de 2018 (Prof. Dr. Hélder Prior.Professor de Comunicação e Política da Universidade Autónoma de Lisboa. Visiting Scholar no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil)

Resumo: A comunicação tem como objetivo analisar o ressurgimento do populismo numa era permeada por novas formas de mediação da política assentes em práticas de comunicação directa proporcionadas pelas redes sociais digitais. Com um olhar sobre as Eleições Presidenciais Brasileiras de 2018, problematizam-se as estratégias de comunicação política do candidato do Partido Social Liberal, Jair Bolsonaro, tendo em conta dimensões discursivas de construção da lógica populista. Pretendemos, ainda, identificar algumas tendências socioculturais do “populismo digital” e compreender a sua afinidade com a comunicação da pós-verdade.

Mediação: Profa. Dra. Isabel Ferin Cunha (ICNOVA)

II Mesa Redonda (16h15m-18h) Candidato Bolsonaro nos Media e nas Redes Sociais 

Enquadrando o populismo nos media: categorias da retórica populista em editoriais brasileiros e internacionais sobre a eleição de Jair Bolsonaro
Prof. Dr. Bruno Araújo
Professor do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Mato Grosso, Brasil. Grupo de Pesquisa em Comunicação, Política e Cidadania

Resumo: Em diálogo com teorias do framing mediático e com o conceito de populismo na sua relação com os meios de comunicação, esta reflexão analisa os enquadramentos sobre o então candidato à presidência do Brasil Jair Bolsonaro, em editoriais brasileiros e internacionais publicados no período eleitoral de outubro de 2018. A comunicação analisa de que forma os quadros simbólicos construídos para posicionar o candidato expressam categorias centrais da retórica populista e aponta diferenças de sentido no modo como os jornais nacionais e internacionais interpretaram o novo presidente brasileiro.

As presidenciais brasileiras de 2018 na imprensa e na televisão portuguesas
Profas. Dras. Ana Cabrera e Isabel Ferin Cunha
Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa e Investigadora do ICNOVA, Universidade Nova de Lisboa. Investigadoras do Projeto OBCOM/ICNOVA “Cobertura das Eleições Brasileiras de 2018 em Portugal”

Resumo: As eleições presidenciais brasileiras de 2018 suscitaram uma grande curiosidade em Portugal e a cobertura jornalística da imprensa e das televisões, abertas e generalistas, refletem esse interesse. Este artigo procura, na introdução, contextualizar os elementos históricos, culturais, políticos e económicos que subjazem à interrelação Portugal-Brasil, pautada por movimentos pendulares humanos contínuos. Em seguida, enquadra-se as eleições brasileiras em tendências macro-políticas mundiais, tendo em consideração a crise das democracias no Ocidente, a emergência de governos populistas, autocráticos e autoritários, assim como a utilização/manipulação dos Media e das redes sociais. Segue-se o estudo empírico sobre a cobertura jornalística das Eleições Presidenciais Brasileiras de 2018, na imprensa (2 diários; 2 semanários e 2 revistas) e na televisão (3 telejornais de canais abertos).

Desinformação em processos eleitorais: um estudo de caso da eleição brasileira de 2018
Dr. Ricardo Ribeiro Ferreira
Jornalista. Mestre em Comunicação e Jornalismo pela Universidade de Coimbra

Resumo: A internet e as redes sociais reconfiguraram o ecossistema mediático e a esfera pública, apresentando desafios para os papeis tradicionais do jornalismo na democracia, entre eles, novas e potencializadas formas de desinformação. Este trabalho analisa as características da desinformação em processos eleitorais e seus potenciais impactos, a partir das principais narrativas compartilhadas nas redes sociais durante a eleição brasileira de 2018.

Mediação: Prof. Dra. Liziane Soares Guazina. 

2020-01-23T18:03:01+00:00