Performance e Cognição (P&C)2021-06-21T11:37:25+00:00

Performance e Cognição (P&C)

Coordenador: Paulo Filipe Monteiro

Este grupo de investigação estuda a forma como as dimensões da cognição, representação e desempenho estruturam fortemente a comunicação. Os processos de comunicação não são diretos: envolvem troca e interferência, feedback e double-bind, ambivalência, astúcia, sedução, persuasão, representação. A ação desenvolvida perante outros torna-se uma atuação. Estruturas e estratégias dramáticas estão presentes em todos os níveis de comunicação.

A NOVA FCSH foi pioneira nesta abordagem, criou em 1993 a disciplina de “Teorias de Drama e Performance”, e, em 2008, um Mestrado em Artes Performativas. A pesquisa tem sido desenvolvida em diferentes centros mas agora está a ser agregada, criando novos desenvolvimentos e sinergias. Esta desenvolve-se nos seguintes âmbitos:

1) como melhorar a presença para obter uma melhor performatividade; a tensão entre organicidade e artificialidade;

2) como são tomadas as decisões em ambientes criativos; o caráter dinâmico da comunicação multimodal (o estudo da linguagem em todas as vertentes da interação humana, incluindo a fala, o gesto e outros movimentos ou posturas do corpo), contribuindo assim para uma compreensão mais ampla da linguagem (verbal e não verbal) e, consequentemente, da complexidade da mente humana;

3) a arqueologia da arte da performance portuguesa e da performatividade nas artes; performance política e “artivismo”; como a documentação é inerente ao desempenho num mundo de mediações;

Pesquisas futuras também desenvolverão a presença do “estrangeiro” em diversos ambientes; a transgressão de géneros e fronteiras na cultura contemporânea; a performance para a câmara.

Este grupo inclui dois laboratórios de pesquisa:

BlackBox: Arts & Cognition Lab (mais info: http://blackbox.fcsh.unl.pt), que trabalha com artistas convidados, para analisar e documentar os seus processos de composição únicos, através do cruzamento dos contributos de criadores contemporâneos com as teorias da Interação Humana, Estudos de Gesto, Ciências Cognitivas e “Computer Vision”.

Laboratório de Experimentação Cénica, nascido do Mestrado em Artes Cénicas, está aberto à colaboração com professores e estudantes da licenciatura e mestrado em Ciências da Comunicação e de outros cursos da mesma Faculdade, e ainda com artistas de fora dela.
Tem como objectivo desenvolver o treino dos performers, experimentar, na prática, novos caminhos para o trabalho em teatro, dança, performance art, artes circenses e ópera e desenvolver o pensamento teórico e crítico sobre as artes cénicas.
Tem por base um grupo permanente que se encontra semanalmente para explorar novos caminhos para o trabalho de corpo e voz, ou a partir de textos teóricos, ou a partir de propostas trazidas pelos seus membros e por convidados nacionais ou internacionais.

Além disso, organiza cursos com grandes mestres portugueses e estrangeiros. Desde a sua criação, em Outubro de 2017, realizou já os seguintes cursos:

  1. Improvisação, com Paulo Filipe Monteiro
  2. O Palhaço e o Sentido Cómico do Corpo, com Ricardo Puccetti
  3. Técnica da Máscara, com Filipe Crawford
  4. Ética e Metodologia de Grotowski, com Filipe Pereira
  5. Método Viewpoints, com Joana Pupo
  6. Método Viewpoints II, com Joana Pupo
  7. Teatralização de espaços não convencionais, com Ricardo Puccetti
  8. Equilíbrio rítmico corporal: distâncias, forças e silêncios nas práticas cénicas, com Carla Fonseca e Horacio López

Foram cursos sempre de elevado nível, predominantemente práticos, embora nalguns casos, depois de uma manhã de prática, se seguisse uma tarde de teoria.

Começamos agora a organizar seminários teóricos, o primeiro dos quais foi sobre “O Yoga no trabalho do actor e do bailarino”.

Estas actividades têm servido de base a vários projectos de dissertação entretanto submetidos.

A 4 de março de 2021, o GI criou o site CRATERA que  propõe um diálogo com e sobre as artes performativas e divide-se em cinco secções temáticas: Erupções – comentário crítico, mais ou menos intempestivo; Paisagem – escrita mais aprofundada e longa, ou recensões de livros e espectáculos; Laboratório que acolhe trabalhos em processo, em formatos audiovisuais, desenho, experimentações; Cordilheira – propostas em diálogo com artistas, entrevistas, desafios situados. As secções Seminário Permanente Agenda dão conta das actividades recorrentes do grupo Performance e Cognição, seja dos seminários mantidos numa base mensal com convidados, seja em interacção directa com o grupo LEC (Laboratório de Experimentação Cénica), ICNOVA, ou FCSH anunciando várias iniciativas.

Latest articles

Read all articles