Plataforma colaborativa – O Outro Sou Eu2018-11-03T19:37:17+00:00

Plataforma colaborativa – O Outro Sou Eu

Coordenação: Maria Augusta Babo
Apoio: CNC – Centro Nacional de Cultura

Este projecto foi o vencedor do concurso CNC 2018 “Vamos Mudar o Mundo” e foi recentemente apresentado na ONU ao Secretário-Geral, António Guterres.

O prémio que foi atribuído a esta ideia para mudar o mundo baseia-se na exploração das implicações filosóficas e políticas da injunção: O Outro Sou Eu.

Em torno desta ideia cuja formulação se enraíza na máxima de Rimbaud, Je est un autre, pretende-se desenvolver modos e processos de transubjectivação. Entende-se, neste âmbito, que a subjectivação é um trabalho que os indivíduos fazem sobre si próprios a partir de práticas transindividuais ou colectivas. Dois eixos teóricos constituem a base deste projecto que aqui se apresenta: por um lado uma filosofia do sujeito, por outra, a sua dimensão ético-política. Não há sujeito à margem da constituição desse lugar, dessa posição do ethos no político.

Em que medida é político o processo de subjectivação? O Outro sou Eu – desloca a reflexividade e coloca a alteridade como fundadora do si-mesmo. Não determina uma essência do eu mas a sua relação. Esta perspectiva de análise do sujeito fá-lo sair da redoma da auto-reflexividade onde o idealismo sempre o colocou, confinando-o a uma essência, para o recolocar na dependência das alteridades com as quais ele se confronta e perante as quais se posiciona.

Projecto

A proposta consiste na criação de uma plataforma virtual de difusão, replicação e adaptação de micro-experiências em comunidade, as mais variadas e criativas. Tais experiências, registadas em vídeo ou noutras formas de fixação digital, podem assim vir a ser difundidas e, consequentemente, implementadas noutros lugares e por outros actores.

Trata-se de constituir uma rede de “boas-práticas-colaborativas”, admitidas por um Comité criado para o efeito e dotado de reconhecida legitimidade para as avaliar e sancionar. Num segundo tempo, essas experiências comunitárias exemplares circularão, à escala global, através da mobilização de comunidades espontâneas ou de associações humanitárias, educativas e culturais.

Media:

“Maria Augusta Babo em Nova Iorque”. CNC online, 7 de setembro de 2018. http://www.cnc.pt/artigo/4075

“CNC anuncia vencedor do Concurso de Ideias VAMOS MUDAR O MUNDO”. CNC online, 21 de março de 2018. http://www.cnc.pt/artigo/3999

“Professora da Universidade Nova quer ‘mudar o mundo’”. DN online, 21 de março de 2018. https://www.dn.pt/artes/interior/professora-da-universidade-nova-quer-mudar-o-mundo-9201835.html

Maria João Caetano, “Uma plataforma para começar a mudar o mundo”. DN, 24 Março 2018 https://www.dn.pt/artes/interior/uma-plataforma-para-comecar-a-mudar-o-mundo-9210545.html

Maria Augusta Babo com o Secretário Geral das Nações Unidas, António Guterres, na apresentação do seu projecto  (29 de Agosto de 2018)